por Charles Spurgeon

Quando Davi buscou o conselho do Senhor nesta ocasião, ele já tinha lutado contra os filisteus e foi avisado de que venceria. Eles vieram em grande número, mas Davi os pôs em fuga com a ajuda de Deus. Observe que, quando os filisteus vieram pela segunda vez, Davi não saiu para lutar, sem consultar o Senhor. Uma vez que ele já havia sido vitorioso, poderia ter dito, o que muitos disseram, em outros casos: “Serei vitorioso novamente. Posso descansar no fato de que, se já venci antes, triunfarei uma vez mais. Por que deveria demorar-me e buscar o Senhor?” Não, Davi não fez isso. Ele ganhara uma batalha pela força do Senhor e não se arriscaria a entrar noutra, sem que se assegurasse da ajuda dele. Davi perguntou: “Subirei contra eles?” e esperou até que o sinal de Deus lhe fosse dado.

Devemos aprender do exemplo de Davi a não darmos passos sem a companhia de Deus. Crente, se você conhece o caminho do dever a ser cumprido, leve Deus como sua bússola; se tiver de guiar seu barco através dos escuros vagalhões, ponha o leme na mão do Todo-Poderoso. De muitas rochas escaparíamos, se permitíssemos que nosso Pai tomasse o leme; areia movediça e muitos bancos de areia evitaríamos, se permitíssemos que sua vontade soberana fizesse as escolhas e comandasse. Um puritano disse: “Se um crente entalha por si mesmo, ele cortará os seus dedos”. Esta é uma grande verdade. Em certa ocasião, um crente declarou: “Aquele que vai adiante da nuvem da providência de Deus está seguindo em jornada inútil”; e acontece assim mesmo. Precisamos ter a providência de Deus a nos guiar. Se ela demora, devemos nos demorar até que ela venha. Aquele que está indo à frente da providência se alegrará em retornar apressadamente. “Instruir-te-ei e te ensinarei o caminho que deves seguir” (Salmos 32.8). Esta é a promessa de Deus a seu povo. Então, devemos entregar-Lhe todas as nossas perplexidades, dizendo: “Senhor, o que queres que eu faça?” Não deixe o seu lar nesta manhã sem consultar o Senhor.

Fonte: https://voltemosaoevangelho.com