Naufrágios

“Três vezes fui golpeado com varas, uma vez apedrejado, três vezes sofri naufrágio, passei uma noite e um dia exposto à fúria do mar.” (2 Coríntios 11:25)

Escrevendo à igreja em Corinto, o apóstolo Paulo disse: “Confie em mim. Eu já passei por isso. Eu sei mais do que jamais quis saber sobre naufrágios.”

Nunca naufraguei literalmente, mas passei por mares muito agitados. Lembro-me de estar em um desses cruzeiros de estudos bíblicos há alguns anos com um grupo de pessoas da nossa igreja. Estávamos tentando fazer um culto durante a noite enquanto o navio balançava nas ondas agitadas. As pessoas estavam ficando enjoadas e cambaleando para fora do local do culto. Digamos que o pastor deu uma bênção antecipada e terminou o culto antes mesmo de começar. Mas isso não foi um naufrágio; foi apenas um mar agitado.

Todos nós já tivemos nossa quota de mar agitado, não é mesmo? Eu tive minha parcela de dificuldades na vida. Muitas? Possivelmente. Mas não tantas dificuldades quantas as de outras pessoas. Sei que sempre existiram algumas dificuldades, desafios e provações na vida cristã, mas eu esperava poder de alguma forma escapar de grandes eventos traumáticos durante os anos que me restam. Navegação relativamente tranquila pelo resto do caminho até o céu, sabe? Mas é claro que não foi assim, com a morte inesperada do nosso filho mais velho, Christopher, em julho de 2008.

Qualquer um que já tenha velejado pode dizer como o tempo pode mudar rapidamente. Mas com que rapidez você pode se ver enfrentando ventos fortes e o mar engrossando? O fato é que não podemos saber o que temos pela frente na vida. Não podemos ver as tempestades que podem estar se agitando no horizonte… Deus pode!

E o que era verdade para o salmista em um tempo de incerteza e grandes tempestades é verdade para você e para mim também: “Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza, auxílio sempre presente na adversidade. […] embora a terra trema e os montes afundem no coração do mar, embora estrondem as suas águas turbulentas e os montes sejam sacudidos pela sua fúria. […] O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é a nossa torre segura” (Salmo 46: 1-3,7).

Fonte: http://www.devocionaisdiarios.com