Turbulência (Salmo 124)

Muitos perigos e inimigos se encontram na caminhada de um peregrino. Ladrões, desvios, buracos, tempestades. Sem contar os problemas prévios a toda a peregrinação, como, doenças, inimigos e entre tantos outros.

Turbulências como essas podiam fazer com que aquela peregrinação fosse ainda mais difícil, talvez até impossível de começar, quanto mais terminar!

Mas aqui no Salmo 124, eles começam dizendo “Não fosse o Senhor…”, no versículo 6 eles dizem “o Senhor que não nos entregou…”. Eles não negam as turbulências da vida nem do caminho, mas eles reconhecem que as mesmas são diminuídas quando colocadas na perspectiva de que o Senhor tem tomado conta deles e os permite seguir em suas vidas em santidade.

Nós temos uma tendência de supervalorizar os nossos problemas ou até mesmo de aumentá-los, para que eles ganhem medidas quase catastróficas.

Deixe-me dar um exemplo meu. Por estes dias meu filho teve febre de 38.7⁰, que está mais perto de 38.5⁰ do que de 39⁰. Mas quando me perguntaram a temperatura, o que disse? 39⁰ sem nem pestanejar!

Ao invés de reconhecer nossa fraqueza, nós tentamos transformar os nossos problemas em grandes demais e turbulências se tornam “desastres aéreos”. Precisamos ter essa perspectiva que Cristo está tanto a frente como atrás de nós. Que vamos sim, ter inúmeros problemas em nossa vida, mas que o Senhor já mitigou todos eles e tudo venceu na cruz. Os desconfortos virão, mas o que são 10, 20, 60 anos de problemas diante da perspectiva da eternidade?

Não tornemos nossos problemas maiores, mas confiemos naquele que de antemão já nos livrou do maior deles e nos permite seguir, em santidade, em direção ao nosso alvo que é Ele mesmo.

Em Cristo, mesmo em turbulências,

Pr. Leonardo